Grupo Motard Os Condenses

Grupo Motard da Quinta do Conde - Conselho de Sesimbra
 
InícioInício  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  
Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Conectar-se
Nome de usuário:
Senha:
Conexão automática: 
:: Esqueci minha senha
Últimos assuntos
» recomeço por todos os motards
Qui Jan 20, 2011 2:24 pm por jpegacho

» Apresentação RFM
Qui Set 17, 2009 4:04 am por RFM

» ola a todos os condenses
Dom Mar 22, 2009 10:59 pm por santos

» esperança por ti ......
Sab Mar 14, 2009 10:30 pm por santos

» tistezas .......,
Seg Mar 02, 2009 5:48 pm por zmenor

» amigos condences
Sex Fev 27, 2009 9:52 pm por santos

» O que é um Motard...?
Seg Fev 09, 2009 6:02 pm por Admin

» amigos condences
Qui Fev 05, 2009 8:50 am por santos

» meus amigos
Dom Fev 01, 2009 3:02 pm por zmenor

Novembro 2018
SegTerQuaQuiSexSabDom
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  
CalendárioCalendário

Compartilhe | 
 

 CAPACETES - CONSELHOS ÚTEIS

Ir em baixo 
AutorMensagem
KOMANDANTE

avatar

Mensagens : 36
Data de inscrição : 17/07/2008

MensagemAssunto: CAPACETES - CONSELHOS ÚTEIS   Sab Jul 19, 2008 5:44 am

O acessório mais importante do equipamento de protecção e segurança para conduzir motos é sem dúvida o capacete, pois é ele que protege a nossa cabecinha. Este guia, criado basicamente com base na nossa experiência e em informações fornecidas por alguns fabricantes de capacetes, serve exactamente para o ajudar a escolher um capacete de qualidade, que esteja de acordo com a sua moto e que lhe permita alguma segurança quando anda na sua moto.


1. Tipos de Capacetes

Cada tipo de capacetes tem a sua função própria, os seus limites em termos de segurança, as suas vantagens e as suas desvantagens. Cada grupo distinto de motociclistas tem mais inclinação para um certo tipo de capacete, dependendo principalmente da moto que conduz e também logicamente com o tipo de pessoa.

Integrais (para Estrada)
Fáceis de identificar por serem um capacete fechado, este formato confere maior resistência a toda a estrutura. No entanto, estes capacetes facilmente embaciam a viseira e tornam-se algo quentes nos dias de maior calor. São os mais caros de todos uma vez que o custo de desenvolvimento é superior aos outros, oferecem muito maior protecção e têm muito mais material e funcionalidades (ex: canais de circulação de ar, forros removíveis, viseiras destacáveis, etc).

Todo Terreno
Têm um formato muito próprio que inclui uma protecção contra pedras, lama e poeiras e permitem o uso de óculos adequados. São logicamente indicados apenas para Motocross e práticas de todo terreno.

Híbridos
Permitem abrir/deslocar para cima a parte do queixo do capacete. Muito práticos nas grandes viagens, pois permitem descansar um pouco a cabeça e respirar melhor nas paragens, sem ter que retirar o capacete, e são também muito práticos para pessoas que usam óculos.

Abertos
Com área de cobertura mais reduzida, protegem apenas as orelhas e as partes laterais da cara, e não possuem qualquer protecção para o queixo, sendo poucos os que incluem viseira. São bastante mais baratos que os restantes capacetes, indicados principalmente para trajectos curtos, a pouca velocidade, ou seja, em áreas urbanas.

Curtos
São a forma mais simples de capacetes. Não protegem nem o queixo nem as laterais. São mais usados nas choppers/custom por se integrarem melhor no estilo, mas a segurança dos mesmos é muito precária ou quase nula. São também mais baratos que quaisquer outros.


2.Pontos essenciais de um capacete

Conforto
À parte do factor segurança, o aspecto mais importante de um capacete é o conforto, pois usamo-lo vezes sem conta nas mais diversas condições quando conduzimos a nossa moto. Deve ser seguro, esteticamente agradável e bastante confortável.

Quando experimentar um capacete, use-o pelo menos durante 5 minutos antes de o retirar. Concentre-se nas zonas que o incomodam. Se possível, veja-se depois ao espelho para ver se ficou com alguma marca vermelha na cara. O capacete deve ficar bastante justo, mas sem ultrapassar o ponto do desconforto.

Camada exterior (Calota ou casco)
O casco é normalmente composto ou por uma mistura de policarbonatos (poliquê…?) ou fibra de vidro. Capacetes em fibra de vidro oferecem elevada resistência ao impacto, são muito estáveis e duram bastante tempo. Os capacetes de policarbonatos são mais leves e muito rígidos. O casco deve ser moldado numa só peça pois a sua principal função é dissipar o impacto por toda a estrutura e evitar que qualquer objecto penetre no interior do capacete.

Pergunte sempre acerca das normas de segurança que o capacete respeita (normalmente encontra-se rotulado no interior do capacete). Muitos capacetes dos mais baratos evitam sujeitarem-se a testes de segurança, pois à partida não estarão à altura dos mesmos, e por isso não se encontram quaisquer indicações dos de normas de segurança.

Camada de Protecção Interior
A camada de protecção de um capacete é normalmente feita de poliuretano, que são uns polímeros do tipo do esferovite. Tem como função absorver o impacto sem o transmitir para a sua cabeça. Alguns capacetes (dos muito maus) não têm esta camada, o que apesar de lhes dar um ar mais leve e prático de transportar, falta-lhes no entanto o ingrediente principal que é precisamente a segurança.

Camada de Conforto (Forro)
É a camada que fica em contacto com a sua cabeça. Deve ter boa capacidade de respiração, ser bastante confortável e adaptável ao seu rosto e deve também absorver o suor. Em alguns capacetes existem forros laváveis e ainda forros substituíveis, o que prolonga ainda mais a vida do seu capacete, pelo que deverá ter este factor em conta pois apesar de este tipo de capacetes terem um preço um pouco superior que um sem forro substituível, a longo prazo sai mais barato pois basta-lhe substituir o interior para ficar com o capacete novo.

O forro tende a adaptar-se ao formato da cara de cada um. Geralmente os capacetes tornam-se mais confortáveis ao fim de algum tempo de uso, mas certifique-se de que adquire um capacete bem à sua medida.

Sistema de Ventilação
Um bom sistema de ventilação é muito importante pois além de manter a cabeça arejada (sem segundos sentidos), evita o embaciamento da viseira e mantém o ar renovado dentro do capacete. A construção deste sistema tem muitas vezes influência directa no ruído que se sente dentro do capacete, o que a ser verdadeiro, resulta num capacete de fraca qualidade, pois significa que foram efectuados poucos ou nenhum teste a este factor, provavelmente com o intuito de reduzir os custos de produção e manter o capacete a um preço baixo.

Verifique se o sistema de ventilação permite controlar a abertura/fecho e se existem aberturas (canais) na traseira do capacete (o ar que entra no capacete deve poder sair do mesmo).

Os sistemas de ventilação são a principal causa de ruído dos capacetes. Quanto mais aerodinâmico (formas redondas) for o formato do capacete e respectivos canais de ventilação, menor será o ruído.

Sistemas de fecho de segurança
Existem três tipos de fechos de segurança: Duplo anel em D (o mais seguro e mais leve. Ex: Arai), o fecho rápido (o mais comum e o mais fácil de usar. Ex: Shoei), velcro, e o sistema de alavanca (muito pouco usado e sujeito a estragar-se com frequência).

Para muitos que possuem capacetes com fechos tipo Duplo anel em D fica aqui o esquema de como fechar correctamente o sistema de fecho.

Quase todos nós quando comprámos o primeiro capacete andámos algum tempo sem dominar a técnica de abrir e fechar o capacete. É por isso comum vermos motociclistas em bombas de gasolina ou nas paragens com o capacete posto e estranhamente agarrados ao pescoço. Pois é, provavelmente é alguém que tem o capacete há pouco tempo e ainda não aprendeu a técnica para o tirar. Mas esteja descansado, pois uma vez que usamos o capacete com grande frequência e estamos sempre a pôr e a tirá-lo, qualquer sistema consegue-se dominar rapidamente e sem problemas.

Tenha em atenção o sistema de fecho do capacete que pretende adquirir. Certifique-se que as fitas não são demasiado longas e que as pontas destas não incomodam no pescoço, pois se estiverem longas demais têm tendência a andar soltas e a roçar e a bater na pele causando irritações desconfortáveis. As tiras são normalmente fabricadas em nylon, o mesmo material dos cintos de segurança, por ser bastante resistente e duradoiro.

Espaço para as orelhas
O interior do capacete deve ter espaço suficiente para alojar confortavelmente as nossas orelhas. Os forros com formato mais ergonómico são muito mais confortáveis e levam menos tempo a adaptarem-se ao formato da sua cabeça. Todos os capacetes são adaptáveis ao formato da sua cabeça, uns mais que outros, mas de forma limitada, ou seja, se experimentar um capacete que gosta muito mas que ao princípio não condiz nada com a sua cabeça, dificilmente se ajustará de forma confortável, mesmo com muito uso.

Óculos de sol
Conduzir com o sol de frente pode-nos cegar ao extremo. Alguns capacetes já incluem viseiras fumadas/escurecidas que tornam a condução em dias claros muito mais confortável, comprometendo a condução nocturna. No entanto, um par de óculos de sol faz o serviço.

Peso
A não ser que seja um capacete dos flinstones, o peso não deverá ser uma preocupação. Se for um pouco mais pesado que o seu capacete anterior não tem qualquer problema, pois em pouco tempo os seus músculos habituam-se ao novo peso.

Um capacete mais leve será sempre mais confortável que um mais pesado, mas também o uso de materiais compósitos mais leves traduz-se num custo maior, pelo que deverá sempre balancear a sua escolha.

Tamanhos
Algumas marcas têm um só tamanho para as calotas dos capacetes, e mudam apenas ou a camada de protecção interior ou o forro. Isto significa que um capacete XS (extra small) tem uma grande quantidade de forro ou de esferovite (EPS), comparando com a versão XL. Considerando que todos queremos um capacete que não nos torne a cabeça muito maior que o que ela é, verifique se o fabricante usa diferentes tamanhos de calota para modelos de diferentes tamanhos. (estes capacetes são também normalmente mais caros)

Viseiras
Peça essencial em qualquer capacete, os que não têm não evitam que projécteis dos mais variados possível (mosquitos, pedras, poeiras, alcatrão, chuva, etc) o atinjam na cara, podendo provocar graves lesões a nível dos olhos e da pele. É muito importante que a viseira ou os óculos de protecção (no caso dos TT) não distorçam a visão nem retirem muito ângulo de visão.

Verifique que tipo de viseira inclui o capacete e se permite mudar para diferentes tipos de viseiras (mais escuras, espelhadas, alta definição, etc), onde e como se abrem, facilidade de abertura, capacidade de vedar a entrada de chuva e de vento, facilidade de remoção/substituição e se as peças dos encaixes da viseira são substituíveis, pois é bastante comum danificarem-se com pequenas quedas.

Certifique-se de que escolhe um capacete com viseira anti-risco e com bom tratamento anti-embaciamento. Verifique também se a viseira não desliza em contacto directo com o casco (acaba por riscar e gastar o verniz e tinta exteriores do capacete bem como a própria viseira).

Evite colocar o capacete num sítio pouco seguro e muito acima do solo. Tantas vezes se vêem capacetes a cair no chão por estarem pendurados ou nos espelhos retrovisores, ou no assento ou em cima de um muro. Uma simples queda pode arruinar por completo um capacete.

Certifique-se também de quais as normas de segurança que o capacete cumpre, pois por vezes as companhias de seguros tentam “fugir” por aí alegando, em caso de acidentes graves, que o capacete não cumpria as normas x e y de segurança. Apenas para que fique a saber.


3. O tamanho certo

1. Use uma fita métrica para medir o perímetro da sua cabeça
2. De acordo com a tabela do fabricante, procure qual o tamanho correspondente à medida da sua cabeça (ex. Small, Large, Extra Large…)
3. Pegue nas correias do capacete e encaixe-o na sua cabeça.
4. O capacete deverá ficar bem justo à cabeça
5. O capacete deve ser confortável
6. Verifique se a parte anterior do capacete fica bem junta ao pescoço e à testa (não deverá caber o polegar entre o capacete e a cabeça)
7. Ajuste e aperte o fecho das correias
8. O fecho não deverá ficar demasiado justo, pois aperta-lhe o pescoço
9. Abane a cabeça de modo a verificar se o capacete não abana. (4)
10. Certifique-se de a sua cabeça não escorrega dentro do capacete
11. Sente-se na sua moto na posição de condução. O topo do capacete não deverá influenciar a sua visão
12. O seu ângulo de visão deverá ser da ordem dos 100%
13. Se usa óculos, experimente-os com o capacete
14. Pressione com a mão por cima do capacete (simular a força do vento) e assegure-se que se sente confortável e que o capacete envolve toda a sua cabeça
15. Verifique se tem todas as características ao seu gosto
16. Use-o pelo menos durante 5 minutos para ver se fica com marcas vermelhas

O tamanho do seu capacete não só é determinante no conforto e prazer que lhe proporcionará, mas também tem um papel importante em caso de embate. Nunca compre um capacete que não lhe serve na perfeição. Existem vários métodos e truques para medir o seu capacete ideal.

1. Comece por experimentar o tamanho que pensa ser o correcto, de acordo com a tabela do fabricante
2. Segure no capacete pelas duas fitas, uma em cada mão e coloque-o até sentir o topo a tocar na cabeça. Se imediatamente se sentir demasiado apertado, por exemplo, se a sua cabeça não chegar a tocar no topo do capacete, ou se as suas orelhas não ficam comodamente encaixadas, ou se o magoa, experimente o tamanho acima.
3. Uma vez encontrado o tamanho confortável e justo, deverá verificar se não está demasiado largo. Para isso, pegue numa das fitas, com o capacete apertado, e tente mover o capacete de lado a lado e de cima para baixo. Se o capacete escorregar, está grande demais. Se a sua pele e o escalpe seguem o mesmo movimento do capacete, então esse é o tamanho certo.
4. Finalmente, ainda enquanto segura nas fitas, o mais rápido possível para baixo e para trás. Se sentir que o capacete pode sair em qualquer dessas posições, ou está demasiado grande, ou as fitas não estão devidamente apertadas.


4. Cuidados e Manutenção

Limpeza Exterior
Para limpar o seu capacete por fora, recomendamos o uso dos mesmos produtos concebidos para a limpeza dos automóveis. Praticamente todos os capacetes levam um acabamento idêntico ao dos automóveis, e poderá utilizá-los para a remoção de riscos e polimento. Tenha cuidado para não polir demais, pois acabará por abrasar demais a camada de acabamento, chegando à camada de pintura. Quando remover autocolantes do casco, ficam sempre resíduos de cola, que poderá remover com álcool, limpando com água e sabão logo que termine.

Limpeza Interior
Muitos capacetes têm interiores laváveis, os quais deverá lavar com sabão à mão e deixar secar ao ar para assegurar que o forro não deforme.

Limpeza dos canais de ventilação
Poeiras e sujidade ficam normalmente acumuladas nestas zonas. Se possível, utilize um compressor a ar para soprar toda esta sujidade. Deve retirar os interiores do capacete para proceder a esta operação.

Apertar e remover os parafusos
Por vezes é necessário ajustar alguma peça do capacete, tal como o suporte da viseira ou da pala no caso dos de TT. Tenha atenção para não apertar demais estes parafusos pois podem-se partir, se forem de plástico, ou rasgar-se se forem de alumínio.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
CAPACETES - CONSELHOS ÚTEIS
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Primeira viagem de mota, conselhos precisam-se!
» Novos capacetes BELL Rogue
» capacetes Nau
» Capacetes Nexx
» Capacetes TNT - Opiniões

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Grupo Motard Os Condenses :: Geral :: Geral-
Ir para: